sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Folheto indica redução de recursos hídricos em plantio de hortaliça

A melancia é uma cultura muito importante para o campo socioeconômico do Vale do São Francisco. Apesar de poder ser plantada no Nordeste em qualquer período do ano, o mais indicado para sua semeadura é entre os meses de agosto a novembro, para garantir ao produtor os melhores preços no mercado.

Foto: Marcelino Ribeiro
Refletindo sobre o grande desperdício de água na irrigação dessas hortaliças, que mais utiliza o sulco (esquema onde a distribuição da água é feita por pequenos canais entre as fileiras das plantações),  pesquisadores da Embrapa testaram o método de irrigação por gotejamento, a fim de amenizar o consumo exagerado dos recursos hídricos.

O procedimento é viável, e tem sido recomendado principalmente em regiões onde o insumo de água é limitado, já que se adapta bem às mais variadas condições de solos, e pode trazer outros benefícios, desde que seja bem adaptado.

Para mais informações, baixe aqui a publicação  "Cultivo da Melancia no Vale do São Francisco"


segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Análise apura atuação de agroquímicos na qualidade da água do Lago de Sobradinho

Com o objetivo de avaliar a influência de fertilizantes na qualidade da água no entorno do lago de Sobradinho, foi realizado um estudo para analisar os níveis de fósforo total, amônio, nitrito e potássio na água. A pesquisa foi feita porque as cidades de Sobradinho, Casa Nova, Remanso, Pilão Arcado e Sento Sé apresentaram baixo índice de produtividade agrícola.



A maioria das amostras analisadas atendeu à legislação brasileira e somente dois pontos no município de Casa Nova excederam o limite de fósforo total, caracterizando um ambiente aquático contaminado. 

Para mais informações sobre o estudo, clique aqui para ler o artigo "Avaliação da Influência do Nível de Fertilizantes na Qualidade da Água no Entorno do Lago de Sobradinho, BA", que faz parte da série Lago de Conhecimentos.



quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Pesquisa verifica o nível de metais pesados em pontos do Lago de Sobradinho


A utilização intensiva de agroquímicos nos solos de áreas cultivadas pode aumentar o teor de metais  pesados disponíveis às plantas, podendo gerar, também, uma contaminação na água. Pensando em analisar os níveis de metais presentes no Lago de Sobradinho, pesquisadores avaliaram a qualidade da água nas regiões de maior influência das atividades agrícolas.

imagem
Foto: Fernanda Birolo
Ao todo, foram usados 26 pontos de coleta localizados nos municípios de Sobradinho, Remanso, Sento Sé e Casa Nova. O material da pesquisa foi coletado em março e maio de 2012, período  de  menor evaporação líquida e maior cota do Lago.

As amostras apresentaram teores totais de zinco, cobre e chumbo abaixo do limite estabelecido pela  legislação  brasileira e acima para os metais ferro e cádimo, em todos os municípios e em ambas  as épocas de amostragem. Níquel e crômio apareceram com teores  acima do permitido em pelo menos um ponto de coleta.

A pesquisa mostra, ainda, que o aumento da concentração dos elementos na segunda época tende a  se relacionar com o solo solo que é arrastado para dentro do Lago na época chuvosa. A presença de metais pesados que conhecidamente estão presentes em alguns fertilizantes e agrotóxicos normalmente utilizados na atividade agrícola da região, são indicativo da influência desta na  qualidade ambiental da água do Lago de Sobradinho.

Para mais informações sobre o estudo, clique aqui para ler o artigo "Avaliação da concentração dos metais pesados na água do Lago de Sobradinho-BA", que faz parte da série Lago de Conhecimentos.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Estudo analisa a fertilidade do solo em Remanso-BA


A região do Submédio São Francisco vem sendo alterada de forma intensa nos últimos anos. O
desenvolvimento, principalmente de atividades agrícolas, proporciona o crescimento econômico, mas também colabora para que haja a degradação da qualidade do solo. Com o intuito de contribuir para a sustentabilidade da atividades do entorno do lago de Sobradinho, pesquisadores de diversas instituições analisaram a fertilidade de duas propriedades rurais no município de Remanso-BA.


Em cada propriedade analisada, foi aberta uma trincheira na qual se realizou a descrição e a caracterização do solo. Com as amostras de solos de cada perfil foram realizadas em laboratório as análises físicas e químicas. O estudo mostrou que os solos avaliados apresentavam baixa fertilidade e que são necessárias práticas de conservação que contribuam com o aumento da matéria orgânica a fim de melhorar sua qualidade química e física.

A retirada da vegetação natural e a adoção de práticas de cultivos impróprias para a região, comprometem a qualidade física, química e biológica dos solos. Por isso, é importante o levantamento e monitoramento das consequências que as mais diversas atividades desenvolvidas podem trazer.

Para mais informações sobre o estudo, clique aqui para ler o artigo "Fertilidade de Solos Localizados no Entorno do Lago de Sobradinho, Município", que faz parte da série Lago de Conhecimentos.

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Cartilha orienta sobre a produção de mudas nativas para o reflorestamento de matas ciliares

Mata ciliar é o nome que se dá à vegetação que se desenvolve às margens dos rios, riachos, córregos, lagoas ou outros corpos d'água. Ela é importante para a proteção dos recursos hídricos, pois atua como uma barreira natural, servindo como filtro, mantendo a qualidade e a quantidade das águas, além de proteger os terrenos que ficam às suas margens.




 
Pensando nisso, um grupo de pesquisadores da Embrapa desenvolveu uma cartilha para orientar sobre a produção de mudas nativas para o reflorestamento de matas ciliares. A produção dessas mudas é importante para a preservação dos rios, lagos e outros espaços de acúmulo de água.

O principal objetivo é oferecer ao público noções básicas sobre a produção de mudas, visando a sensibilização das populações ribeirinhas para a recomposição da mata ciliar, em especial às dos municípios baianos de Casa Nova, Remanso, Pilão Arcado, Sento Sé e Sobradinho, que fazem parte do território do São Francisco, na borda do Lago de Sobradinho.

A cartilha é mais um trabalho divulgado pelo projeto Lago de Conhecimentos, que busca disponibilizar, em versão digital, estudos sobre o ambiente do Lago de Sobradinho e as populações que ali habitam. Para mais informações, baixe aqui a publicação "Produção de mudas nativas para o reflorestamento de matas ciliares"

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Fortalecimento da pesca e piscicultura local depende da consolidação do desenvolvimento sustentável

Experiências realizadas pelo projeto Lago de Sobradinho comprovam que vários fatores são vitais na no fortalecimento da pesca e piscicultura local. Um estudo realizado por um grupo de pesquisadores analisou as ações de reestruturação da piscicultura nas cidades de Sobradinho e Casa Nova nas condições de estiagem prolongada, a partir das estratégias, práticas e resultados em relação a consolidação do desenvolvimento sustentável




Entre os pontos observados estão a capacidade de auto-organização local, a riqueza do capital social, o compromisso das instituições em garantir a utilização correta dos recursos materiais, a participação ativa do beneficiário e o sentimento de apropriação do processo pela comunidade.

A pesquisa mostra que a transformação social em bases sustentáveis não significa somente dar valor aos aspectos ditos sociais, mas também está embasada em eixos de desenvolvimento territorial. Apesar do cenário no semiárido ser de escassez de água, o projeto favorece a permanência dos piscicultores na atividade.

Para mais informações, baixe aqui a publicação “Dinâmicas de Desenvolvimento Territorial Sustentável: A reestruturação da pesca e piscicultura no Projeto Lago de Sobradinho na Bahia”.

sábado, 24 de novembro de 2018

Pesquisa analisa qualidade da água utilizada para irrigação em cidades no entorno do lago de Sobradinho

A água é um fator importante para minimizar os efeitos causados pela agricultura irrigada. A qualidade do líquido pode interferir na salinidade e permeabilidade do solo e toxidez às plantas. Pensando nisso, um grupo de pesquisadores realizou estudo para avaliar a qualidade da água utilizada na irrigação no entorno do lago de Sobradinho. A pesquisa analisou períodos secos e chuvosos em 2012 nos municípios de Sobradinho, Casa Nova, Sento Sé e Remanso.



Ao todo, foram avaliados 26 pontos de coleta de água utilizada na irrigação. Os parâmetros analisados foram pH, condutividade elétrica, dureza, cálcio, sólidos totais, sódio, potássio, fósforo, nitrogênio amoniacal, turbidez e cloreto. A pesquisa constatou que a água do lago de Sobradinho apresenta boa qualidade no geral, apresentando limitação em alguns pontos apenas para o pH, condutividade e turbidez.

Esse diagnóstico é uma importante ferramenta para prevenir a salinização das áreas agrícolas e sua divulgação faz parte do projeto Lago de Conhecimentos, que busca disponibilizar em versão digital, estudos que geraram novos conhecimentos sobre o ambiente do Lago de Sobradinho e as populações que ali habitam.

Para mais informações, baixe aqui a publicação “Avaliação da qualidade da água para fins de irrigação na região de entorno do Lago de Sobradinho”.